Sexta-feira, 29 de Agosto de 2014

Memorial de Convento - José Saramago

"Era uma vez um rei que fez promessa de levantar um convento em Mafra. Era uma vez a gente que construiu esse convento. Era uma vez um soldado maneta e uma mulher que tinha poderes. Era uma vez um padre que queria voar e morrer doido. Era uma vez."

 

 

 

Como podemos perceber pelas frases que citei da contracapa, este romance descreve a construção de um dos monumentos mais emblemáticos de Portugal, o Convento de Mafra. Tudo começa com a apresentação da relação Rei/Rainha enquanto casal. Tendo a rainha chegado à corte à dois anos e tendo o rei ido ao seu quarto duas vezes por semana, na tentativa de dar um herdeiro a coroa, saindo todas estas tentativas frustradas, chega um frade à corte com a mensagem de que os reais desejos podem ser concretizados se o Rei oferecer um grande convento em Mafra para albergar a ordem franciscana. Então o rei promete que se dali a um ano tivesse um filho mandaria construir o dito convento. Então, nasce a primeira filha, a princesa Maria Barbara e começa a construção do convento. Por essas alturas, durante um auto de fé, Blimunda, a filha de uma degredada conhece um homem, Baltasar, um antigo soldado de guerra que lá perdera a mão. Acabam por ir para casa de Blimunda, juntamente com Bartolomeu Lourenço, um padre que os acompanhava. Acabam por oficializar a sua relação de uma forma muito pouco ortodoxa. Num plano paralelo ao da sua relação, este casal dedica-se a ajudar o padre Bartolomeu na concretização do seu sonho, construir uma maquina com a qual pudesse voar. Entretanto, Baltasar e Blimunda dirigem-se a Mafra, terra natal de Baltasar enquanto Bartolomeu se dedicava ao estudo de mecanismos que fizessem voar a sua maquina. Dá-se aqui o relato do inicio das obras em Mafra, dos quais se destaca o lançamento da primeira pedra. Depois de o padre regressar, já conhecendo os fundamentos do voo, Blimunda e Baltasar regressam a Lisboa e, aproveitando-se dos estranhos poderes de Blimunda (conseguir ver por dentro das pessoas), Bartolomeu encarrega-a de recolher as vontades humanas que se libertassem dos corpos, pois eram estas as "peças" fundamentais para que a passarola voasse. Depois de tudo estar pronto, o Padre acaba por consentir em voar na maquina, não como modo de exibir a sua invenção, mas antes como uma tentativa de escapar às garras da inquisição que desconfiava de uma obra do demónio. Mas como a máquina só voava com a luz do dia, ao cair da noite aterraram no Monte Junto. Aí, o padre tenta incendiar a máquina e foge, nunca mais sendo visto. Mais tarde descobre-se que morrera louco em Espanha. Baltasar e Blimunda regressam a Mafra, onde Baltasar ajuda a construir o convento. Visitando regularmente a máquina, Baltasar vai reparando os estragos que são deixados pelo tempo. Na sua ultima visita, Baltasar escorrega num pouco de madeira podre e com o gancho que tinha no lugar de mão aciona o mecanismo que abria as velas e a maquina levanta voo. Depois de muito esperar inquieta, Blimunda acaba por sair à procura de Baltasar, mas ao chegar dá pela falta da máquina. A partir daí começa a busca de Blimunda, que acaba por durar nove anos. Num terceiro plano, temos ainda a construção do mosteiro, construção essa levada a cabo pelo povo, anónimo, como sempre, que trabalha para o único fim de satisfazer os caprichos e as vaidades do rei, que não quer morrer antes da obra estar terminada. Nesta parte, estão contidos muitos sacrifícios humanos, como a perda de vidas, outros trabalhos pesados e a separação de famílias. Daí, surge a explicação do autor para o nome Mafra: Mortos, Assados, Fundidos, Roubados e Arrastados.

A ação termina quando Blimunda encontra Baltasar, no mesmo sítio onde o conhecera, pronto para ser queimado na fogueira da inquisição.

 

Na minha opinião, o enrredo está muito bem construído, de modo a dar o privilégio aos verdadeiros heróis da história. No ínicio, o protagonista era o rei, que vai perdendo o prestígio à medida que o povo vai perdendo o anonimato.

 

E porque gosto de ler...

Recomendo!

publicado por Papão da Fantasia às 14:54

link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 1 de Agosto de 2014

Predestinado - Philippa Gregory

 

 

Decorrendo durante o ano de 1453, Predestinado é um romance histórico que decorre numa época em que tudo é presságio de um fim do mundo próximo. Deste modo, cabe a um jovem de 17 anos, Luca Vero, a missão de descobrir os mistérios associados ao fim do mundo na Europa, registando estes momentos, já depois de ser expulso do seu mosteiro. Assim, depois de sair de Roma, o seu primeiro destino é Lucretili, onde o espera um estranho caso na abadia, em que a madre abadessa, Isolde, um rapariga, também ela de 17 anos, é acusada de bruxaria e de outras coisas estranhas, como o enlouquecimento das outras freiras ao seu cuidado, contribuindo estes acontecimentos para o aumento do clima de tensão vivido nessa época. Ao descobrir a inocência de Isolde, pouca antes de esta ser queimada numa pira, Luca ajuda a fugir do convento, levando-a por uma viagem ao longo de Itália. Durante esta viagem vão-se conhecendo mutuamente, tal como os acompanhantes de cada um e travando ujma relação forte, superando desafios relacionados com magia negra e criaturas fantásticas, combatendo o avanço do Mal e defendendo as fronteiras da Cristandade.

 

 

É um bom romance, mas ainda quero saber mais. Por isso é que espero a continuação, que já foi publicitada no livro da autora, Pilippa Gregory.

 

É por estas razões e porque gosto de ler que...

 

Recomendo!

publicado por Papão da Fantasia às 16:48

link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 31 de Julho de 2014

A Profecia de Istambul - Alberto Santos

A Profecia de Istambul é um livro cuja ação decorre maioritariamente durante o século XVI, o chamado Século de Ou

 

ro, em que a fusão de religiões e culturas promovem um confronto entre as forças do Bem e do Mal. 

 

Desenvolvendo-se em torno da Lança de Destino, a qual perfurou o lado de Cristo aquando da sua crucificação, a obra começa quando a Lança é negligentemente perdida por um dos seus últimos possuidores, Roger de Flor, que a perde ao morrer numa batalha, durante o século XIV. De volta ao século XVI, deparamo-nos com três jovens, unidos por uma amizade fiel que os leva a fazerem um pacto de sangue, tornando-se irmãos. Durante o ritual, tomam conhecimento de um livro, o "Necronomicon"k, que se for possuido em conjunto com um outo objeto, o seu detentor pode guiar o destino da humanidade, tanto para bem como para mal. Separando-se no fim deste encontro, cada amigo segue o seu rumo, sendo que Jaime, o protagonista se separa também de Rosa, a rapariga por quem estava apaixonado.

E como o destino é um dos grandes agentes desta obra, Jaime acaba por reencontrar os seus dois amigos e a sua amada, por força de uma missão que têm que cumpir em Orão, de modo a stender os limites Cristãos em territórios árabes. Perseguidos desde Espanha, por ouvirem uma conversa onde era mencionada a Lança do Destino, Jaime e os ses amigos vêm-se torturados pela inquisição, mesmo em terras de África. Depois de serem derrotados numa das suas batalhas. Aí descobrem que têm a missão de recuperarem a Lança e de a restituirem ao seu devido lugar, sendo necessário Jaime renegar a sua religião e fazer-se "turco de profissão" para poder circular livre e discretamante no mundo árabe. De seguida, parte para Istambul, onde descobre novas informações acerca da missão que lhe cabe cumprir. Descobre a história associada à Lança e conhece Grácia Nasi, uma judia muito bem sucedida em Istambul que o vai informando acerca da Lança. É aqui que lhe explica a profecia, que dita que se a Inquisição tomar posse da Lança e de um livro, o "Necronomicon" os pode usar para provocar um holocausto, destinado à exterminação dos judeus. Além disso, a Lança era conhecida por dar grandes glórias aos seus possuídores durante a vida, mas no momento da mudança de possuidor, a possuidor anterior teria uma morte trágica. Depois de muitas desventuras, Jaime consegue finalmente recuperar a Lança e repô-la no seu devido lugar, regressando para junto de Rosa.

 

Ao ler este romance, e ao conhecer a profecia pensei: "Coitados dos Judeus, tinham medo de serem aniquilados pela inquisição se esta possuisse a Lança e nem sequer sabiam que mais tarde, mesmo sem a Lança estariam gravemente ameaçados". Mas estava muito enganda e é aqui que o autor remata em beleza, ao concluir no epílogo que Hitler, depois de ver a Lança num museu em Viena a achou de alguma forma mágica, mas que isso era provavelmente fruto da sua imaginação. Mas ao alcançar o poder e ao anexar a Áustria, Hitler toma posse de todas as coleções dos museus, incluindo a Lança. É aqui que se cumpre a profecia, dando-se o holocausto. Quando os EUA chegam à Alemanha para derrotarem Hitler, entram no esconderijo da Lança e levam-na. De modo a que a profecia ficar completa, o que é que faltava acontecer? A morte trágica de Hitler. E a História confirma este facto: Oitenta minutos depois de os Americanos invadirem o esconderijo de Hitler, este suicida-se consomando a História da Lança, que voltou a ser guardada.

 

É por estas razões, e porque gosto de ler que...

Recomendo

publicado por Papão da Fantasia às 15:58

link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 28 de Maio de 2014

Os Profetas - Alice Vieira

Os Profetas é um romance de Alice Vieira que decorre durante o ano de 1533. Relatado por Filipa Nunes, conta a história de vida desta jovem e de seu tio, Fernão Nunes, considerados profetas na ilha de Porto Santo. Depois de quase dez anos paralítica, Filipa Nunes recupera, pois um dia seu tio dissera-lhe que se tivesse vontade deixaria a cama. E assim aconteceu, passaram a ser considerados profetas e, durante dezoito dias espalhou-se o caos pela ilha. Após uma denúncia, Filipa e Fernão são presos pela inquisição e são condenados a atos de tortura em público, sofrendo ao calor de velas que lhes deixavam o corpo em chaga. Já depois de se separarem, Filipa apercebe-se que está muda, mas reconstitui a sua vida, casando com um homem relacionado com a inovação literária que acaba por ser condenado a um auto de fé.
É um bom livro, que nos mostra o poder da inquisição ao longo da história, ajudando-nos a valorizar a liberdade que nos foi concedida.
É por estas razões e ... porque gosto de ler que ...
RECOMENDO!
publicado por Papão da Fantasia às 09:24

link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 19 de Março de 2014

O Bazar Alemão - Helena Marques

O Bazar Alemão é um livro de Helena Marques que expressa os efeitos das políticas racistas alemãs em países e comunidades que à partida não estavam relacionados com a 2ª Guerra Mundial, como o caso de Portugal (país nulo) e, em particular da comunidade madeirense. Em vésperas da guerra, é decretada uma lei que tinha em vista a preservação da honra e do sangue alemão, chegando a abranger as leis relacionadas com o casamento, atingindo a comunidade judico-alemã que habitava na pacata cidade do Funchal. Nessa época, chegara a esta bela cidade um jovem alemão, Eugen, que recebera como guia e orientadora na ilha, a melhor amiga da filha do cônsul alemão, Elisabeth. Entre ambos estabeleceu-se desde o início uma relação de cumplicidade e confiança, sabendo que estavam destinados um ao outro. Ao mesmo tempo, desenvolvem-se outras histórias paralelas, como a de Mike, um jovem português que estudava em Londres, e Katherine, uma mulher independente e autónoma, de origem alemã, que se amam sem paixão. Dando nome ao romance, surge a história de Izaak e  Miriam, um casal polaco que imigra para Portugal em busca de melhores condições de vida para si e os seus filhos, abrindo um negócio de venda de artigos de costura, entre outros, O BAZAR ALEMÃO, que os sustentava. Dá-se também a presença do amor entre Leonor e o Dr Franz. Como impedimento a todas estas relações, existe um estranho casal alemão, de convicções puramente racistas, os Bromberger, que tentaram por em prática as políticas de Hitler, impedindo o casamento de Eugen e Elisabeth e dificultando a vida ao casal polaco.
É um bom livro que mostra como algumas políticas conseguem transtornar a vida familiar e quotidiana de pessoas sem relação com essas políticas e a forma como se devem ultrapassar todos esses problemas.
É por estas razões e ... porque gosto de ler que ...

RECOMENDO!
publicado por Papão da Fantasia às 10:07

link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Memorial de Convento - Jo...

. Predestinado - Philippa G...

. A Profecia de Istambul - ...

. Os Profetas - Alice Vieir...

. O Bazar Alemão - Helena M...

.arquivos

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Maio 2014

. Março 2014

. Maio 2013

. Abril 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

.tags

. todas as tags

.favoritos

. Lindos olhos, MELHOR RAB...

. Dia da Mãe

. O Triunfo dos Mansos

. Um Dia de Vida

. Como quase adotar um gato

. Aos futuros Caloiros

. Querido Blog,

. Ingratidão

blogs SAPO

.subscrever feeds

Em destaque no SAPO Blogs
pub